24 maneiras de ter empatia e se enxergar em todas as mulheres

A sororidade (união, empatia e companheirismo feminino) e pequenos atos diários ajudam (e muito!) na luta das mulheres à favor da igualdade entre gêneros.

  1. Ler livros que falem sobre o feminismo e a batalha diária das mulheres. Alguns exemplos são:
    O Segundo Sexo (1949), de Simone de Beauvoir.
    Sejamos todos feministas (2014), de Chimamanda Ngozi Adichie.
  2. Respeitar as mulheres, suas histórias e ouvir suas vozes.
    No mundo em que vivemos, é muito comum vermos a figura masculina como “autoridade”, por causa da cultura machista que ainda está enraizada na sociedade, mas que tal mudar a chavinha da atenção e ouvir as mulheres com a mesma importância!! 🙂
  3. Não achar que o estresse de uma mulher está ligado à TPM.
    Apesar das mulheres terem plena consciência de que o estresse do dia a dia não tem nada a ver com a TPM, existem vezes que falamos “ela deve estar de TPM” quando alguma mulher que conhecemos está inquieta ou impaciente. Vamos parar com atitudes assim!
  4. Lutar a favor da igualdade salarial entre homens e mulheres em cargos equivalentes.
    Sim, muitas mulheres e homens têm salários diferentes, mesmo que atuem nos mesmos cargos! Isso precisa mudar já!
  5. Não julgar mulheres que não têm o sonho de ser mãe.
    A maternidade não é e não precisa ser sonho de mulher nenhuma. Ser mãe não faz uma pessoa mais feliz ou evoluída.
  6. Não julgar outras mulheres e nem colocá-las umas contra as outras.
    Nos ensinam a ter essa competição contra outras mulheres. Temos que permanecer juntas!
  7. Reconhecer autoras e diretoras mulheres (e outras profissões também).
    As mulheres estão conquistando cada vez mais áreas que eram dominadas por homens e, cabe a nós, ajuda-las a se promoverem e valorizar o seu trabalho.
  8. Lutar a favor da legalização do aborto.
    A discussão aqui não é se você é a favor do ato ou não, cada um tem suas próprias opiniões baseadas em valores, mas as mulheres devem ter a liberdade de escolha em relação ao seu corpo. A legalização do aborto é questão de saúde pública.
  9. Denunciar assédio sofrido.
    Seja assédio verbal ou físico, se acontecer com você ou com alguma outra mulher, é necessário fazer um escândalo. Você deve denunciar e expor o agressor, mas é claro que também deve levar em conta sua segurança quando fazê-la.
  10. Não achar que a roupa de alguém quer dizer algo.
    Roupas não ditam caráter e nem classificam uma pessoa “para casar”, “para namorar”, “piriguete”, “santinha”… Vamos acabar com esses rótulos.
  11. Não se calar quando vir uma atitude machista acontecendo.
    Desde atitudes que acontecem com você, até em uma conversa na roda de amigos, não deixe que pequenas falas e atitudes machistas passem despercebidas.
  12. Não julgar com quantos homens ou mulheres sua amiga ficou.
    Isso é apenas um número e não faz com que uma pessoa seja melhor ou pior que as outras.
  13. Não ficar em um relacionamento abusivo ou ajudar alguém a sair de um.
    Pode ser difícil perceber um relacionamento abusivo e sair de um. Peça ajuda e ajude também quem passar por essa situação.
  14. Elogiar suas amigas.
    Elogios ajudam a elevar a autoestima de qualquer pessoa, mas lembre-se de não parar apenas nas características físicas. Elogiar a inteligência e a personalidade da pessoa pode ser ainda mais benéfico.
  15. Não competir por homens.
    Homem nenhum vale a competição entre você e suas amigas.
  16. Evitar aceitar mansplaining.
    Sabe quando um homem acha que sabe mais que você em assuntos que você domina e vem, carinhosamente, te explicar? Isso pode parecer legal da parte dele, mas não é e cabe a você cortá-lo e colocá-lo em seu lugar. Eles também têm mania de interromper as mulheres quando elas estão falando. “Deixa eu terminar, cara!”
  17. Ver que vocês (mulheres) vão muito além das aparências.
    A aparência é apenas uma dos milhares de coisas que as mulheres podem ou não gostar e se preocupar. Não pense que você é pior só porque gosta de fazer as unhas ou se gasta horas no salão para arrumar os cabelos. Se você fizer isso por você mesma, não há problema nenhum.
  18. Não desconfiar de outras achando que elas vão “roubar seu homem”.
    Se acontecer traição, o culpado é quem te traiu. Sempre! Pode ter certeza que a pessoa com quem seu parceiro te traiu não amarrou ele/ela e o/a obrigou a fazer aquilo.
  19. Entender que mulheres não precisam provar que merecem respeito por meio de suas roupas e atitudes.
    Todas as pessoas de qualquer gênero, raça, religião e posição social devem ser respeitadas e não precisam provar nada para isso.
  20. Não chamar uma mulher em posição de destaque de “mandona”.
    Mulheres em posições de destaque são muito mais julgadas do que homens que estão naquela mesma posição. Uma mulher que se impõe é mandona, um homem que faz o mesmo é firme e decido. Mulheres no poder, sim!
  21. Não achar que em um casal lésbico, uma delas tem que ser o homem da relação, ou até que uma mulher é lésbica porque não achou o homem certo.
    Mulheres não vivem em função de homens. Aceitem.
  22. Ouvir mulheres que relatam assédios e acreditar na palavra delas.
    Já percebeu que quando mulheres que relatam um assédio são colocadas em dúvida? A dúvida é a primeira coisa que passa pela mente de várias pessoas, porque não conseguem acreditar que “aquele homem faria uma coisa dessas”.
  23. Não falar que alguém precisa de um homem.
    Homem não é um troféu que acaba com todos os problemas da vida de uma mulher. Uma professora não te dá nota ruim, porque não é casada e, acredite, uma mulher não melhora de uma depressão (por exemplo) quando arruma um namorado.
  24. Não usar a sua liberdade de opinião para falar mal outras mulheres nas redes sociais ou na vida.
    Sua liberdade acaba quando interfere com a liberdade e com os direitos alheios.
Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s