A casa de Francesca Monfrinatti une design e garimpos originais

A mescla da influencer revela um olhar apurado para decorar.

Combinações inusitadas e hi-lo são o que definem o estilo da influencer de moda Francesca Monfrinatti, 28 anos. A paulistana, que ficou conhecida com seu antigo blog, lançado em 2008 e batizado de Shoe Lover (por ser ela uma apaixonada por sapatos, em especial os com design de destaque), acredita mais em looks autênticos do que em usar necessariamente peças grifadas. O pensamento foi lapidado ao longo de uma já considerável experiência com moda. Formada em design de produto pelo Istituto Marangoni, em Milão, trabalhou na Carlos Miele, Schutz e Daslu e foi ainda uma das criadoras do Fashion Day In, evento que surgiu em 2011 para apresentar ao mercado coleções de marcas novas e promissoras, que não faziam parte do line-up oficial do São Paulo Fashion Week. Etiquetas como Thelure e Lolitta foram algumas das que integraram a iniciativa. Hoje, se dedica a alimentar o site que leva seu nome com conteúdo ligado a lifestyle. “Gosto do que é bom, claro. Mas prefiro peças que mostrem a minha personalidade, independentemente de quanto custem e ainda que possam parecer extravagantes ao primeiro olhar”, diz.

Francesca, de vestido Kaele e cinto Escada, no corredor que liga a sala principal à de TV. (Victor Affaro/Estilo)

Esse mesmo mood pode ser visto em sua casa. Desde 2013, ela vive com o marido, o consultor de design e arquitetura Marcello Maksoud, em um apartamento de 450 m² em um edifício projetado pelo arquiteto Isay Weinfeld na Vila Nova Conceição, Zona Sul de São Paulo. Francesca se mudou para o endereço no meio do processo de uma reforma, idealizada e comandada por Marcello durante dois anos e meio. Isso não a impediu, no entanto, de imprimir sua marca na escolha de cores (o azul do sofá da sala principal foi ideia dela) e na disposição dos móveis, numerosos. “Ele já tinha o apartamento e a ideia da obra e do design de interior porque, afinal, isso faz parte do trabalho dele. Mas, como temos um gosto parecido, todos dizem que a casa tem a minha cara também”, afirma. “O Marcello é na decoração como sou na moda: curtimos misturar achados a peças mais distintas.”Assim, os dois preencheram com um acervo de arte, design contemporâneo e objetos vintage o amplo imóvel – que passa a sensação de ser uma casa graças a duas largas varandas laterais ao redor de todo o apartamento, o único do prédio com essa planta. “Sempre morei em casa. Então, para mim, isso é muito especial”, diz Francesca.

Em uma das varandas, sofás da Kartell, bancos azuis de madeira, muranos adquiridos em viagens pelo mundo e bancos africanos. (Victor Affaro/Estilo)

O quarto do casal: chaise-longue Rio, banco On the Road e obras de Valentino Fialdini e Herbert Baglione. (Victor Affaro/Estilo)

Ainda no quarto, poltronas Vronka, de Sergio Rodrigues. (Victor Affaro/Estilo)

Radical, o redesenho buscou valorizar a amplitude. Tudo foi pensado para integrar ao máximo os três atuais ambientes: a sala, com cozinha aberta para receber com frequência os amigos, a sala de TV, que a princípio era um quarto, e a suíte que restou, com generosos 120 m², banheiro espaçoso e um closet que guarda os inúmeros pares de sapatos da moradora. Depois da derrubada de algumas paredes e da troca do piso, só sobraram da planta original as vigas e colunas estruturais e a laje do teto. Até o concreto que reveste boa parte das paredes dos cômodos, dando unidade a eles, foi aplicado. O projeto impressiona pelo preciosismo. Das saídas de ar aos puxadores dos armários, da cozinha de inox às portas de aço-carbono, Marcello desenhou cada detalhe – que agradam, um a um, Francesca. “É tudo supermoderno. Se eu tivesse feito do zero, acho que sairia exatamente assim.” Uma escolha desde o início foi priorizar a decoração dos banheiros. O lavabo da sala da TV, por exemplo, tem um espelho curioso de Jacques Adnet e obras de Alex Flemming e Evelyn Tannus.

No lavabo, o destaque é a luminária pendente e rebaixada, recurso que dá ainda mais charme à iluminação. (Victor Affaro/Estilo)

Livros sobre design, esculturas e um quadro de lego feito por Francesca para o marido como presente de 1 ano de namoro. (Victor Affaro)

Livros sobre design e esculturas. (Victor Affaro)

Essa linha artsy aparece em todo o local. Alguns cantos, aliás, têm pinta de galeria – atmosfera reforçada pela iluminação indireta, escondida sobre as vigas – e outros se assemelham a um showroom de lojas de design, tamanha a variedade de objetos de diferentes épocas e correntes, assinados por grandes nomes da área, como Patricia Urquiola, Jean Prouvé, Sergio Rodrigues e John Reeves. Pudera: Marcello foi dono da extinta loja de décor Benedixt e, ao importar peças para suas vitrines, aproveitava para trazer móveis para o próprio lar. “Temos tudo aqui: traços escandinavos, portugueses, italianos, vietnamitas, canadenses, australianos. Isso abriu minha cabeça para o mundo dos móveis”, conta Francesca. Entre as obras de artes, há quadros assinados pelo artista plástico RAG, no hall de entrada, e telas enormes de Ian Strange, à la street art, no canto da TV. As criações contemporâneas e autorais se misturam a peças antigas, garimpadas em brechós, leilões e até em oficina de motos – caso de um boneco Playmobil customizado como um Papai Noel rebelde, que recebe com irreverência quem chega à casa. Mas os achados queridinhos são a chaise-longue Rio, original de Oscar Niemeyer e angariada em um leilão, uma janela indiana de 1600, o arquivo de um laboratório antigo, ainda com inscrições nas gavetas, e um par de baús Louis Vuitton, herança da avó da influencer. O mix dá particularidade ao décor – e casa com a maneira pela qual Francesca monta suas produções. “Nesse sentido, existe um total diálogo entre a moda e a decoração. Em ambas as áreas, misturo elementos que não passam de cara a ideia de que ficariam bem juntos. Curto um item atual perto de um móvel com data dos anos 1920″, exemplifica.

Na sala de TV, telas do inglês Ian Strange e móvel vintage de laboratório (ao fundo). (Victor Affaro)

À primeira vista, a volumosa coleção de objetos e móveis e a profusão de cores pode até parecer exagerada, mas basta uma visão mais atenta para captar que nelas existem, sim, harmonia. “Não sou uma influencer de 1 milhão de seguidores, mas quem me segue entende do que gosto”, garante Francesca. São aqueles que sabem que não raramente é bem ali, no que é incomum, que mora a beleza.

O hi-lo de Francesca: jeans Forever 21, camiseta Uniqlo, blazer Balmain e sandálias Giuseppe Zanotti. (Victor Affaro)

Comentários
Deixe um comentário

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s